quarta-feira, 20 de outubro de 2010

JESUS - UMA ERA DE FARSA


“O JESUS HISTÓRICO EM SUA ORIGEM JUDAICA”
                                                     Por Tav Rosh Benyakóv

Discorrer sobre Jesus pode ser demasiado delicado, complexo e contraditório. Pois não é possível determinar que ele tenha sido um ser real, encarnado, com vida social que possa ser reconstituída de forma precisa e histórica. Por outro lado, tudo o que dizem sobre ele, bem como tudo o que tem sido produzido e pregado sob argumento de sua possível existência, influenciou radicalmente a sociedade por dois mil anos. Sendo assim, o Jesus histórico só pode ser estudado e avaliado por meio dos acontecimentos que evocam seu nome e seus valores, capazes de gerar concretas reações no cenário social. Ou seja, entendo que o Jesus histórico é produto do imaginário coletivo - plural e controvertido – ora construído, materializado e manipulado no decorrer da história.
Mas que Jesus histórico será discutido: O da expectativa messiânica judaica, oriunda do cativeiro babilônico? O essênio? O Mestre da Justiça? O rei? O sacerdote?  O eremita ascético? O rabino fariseu? O herege, profano e reacionário que foi condenado à morte por justiça? O que se casou com Maria? O que teve relações sexuais com João? Aquele narrado no cânon cristão ou nos apócrifos? O helenístico? O gnóstico? Ou aquele deificado e forjado para ser dominador romano? Mas romano ortodoxo ou católico? O mesmo Jesus que legitimou a inquisição universal e o pogrom russo? Ou o Jesus também anti-semita, reformado, e luterano, que serviu de base ao protestantismo alemão e nazista? Ou o Jesus que motivou o selvagem capitalismo europeu e americano? Mas deixaria de ser histórico o Jesus mítico, e místico, produzido pela coerção social das tradições imperialistas cristãs? E o Jesus cardecista e esotérico? E o Jesus arquetípico de Jung? Ou o Jesus da experiência pessoal, ora produto da esquizofrenia e demais patologias psíquicas, tal como a fraude do inconsciente? Ou o Jesus mercenário, manipulador, curandeiro, charlatanista, que vende a salvação nos movimentos neopentecostais contemporâneos? Ou, quem sabe, o Jesus imaginativo, lendário, fabuloso e literário que inspira adesões político-partidárias ainda hoje? Sob que perspectiva é possível avaliar este personagem-curinga, que respalda o bem e o mal, a ordem e a revolução, a paz e a guerra, a dominação e a liberdade, a fé e a razão, variando de acordo com a época, grupo social e interesse político de quem o defende? Quem é este ídolo plástico, sempre remodelado pelas mãos dos artífices-ideológicos que trabalham para a crescente legitimação e manutenção do poder? Quem é este ídolo de barro que é vivificado, adorado e imortalizado pela alienante crendice das massas?
Ao focar a atenção somente no período contextual do segundo Templo de Jerusalém, por volta de 515 a.e.c até 70 e.c, percebe-se que a fé judaica estava dividida em diversos segmentos: samaritanos, saduceus, escribas, fariseus, essênios, zelotas, macabeus, herodianos, sicários, caraítas... e, por fim, cristãos. Nota-se, a partir desta introdução, que o judaísmo nunca foi uma religião homogênea, detentora de um só dogma. Ao contrário, sempre foi plural e, às vezes, os judeus discordavam quase plenamente em suas crenças à medida que seguiam de uma facção à outra. Em função disto, segundo o historiador Flávio Josefo, em meados de 150 a.e.c, um grupo de ascéticos separatistas, denominado essênio, migrou ao deserto por encontrar-se insatisfeito com a religiosidade, política e helenismo predominantes em Israel. Os essênios dividiam-se em grupos de 12, vestiam-se de branco, usavam barbas, eram celibatários, acreditavam em cura pela imposição de mãos, aboliam a propriedade privada, eram vegetarianos, realizavam batismos, praticavam o ritual da ceia com vinho e pão, expulsavam demônios, acreditavam no Bem e no Mal, em filhos da Luz e das Trevas, não aceitavam sacrifícios de animais, desprezavam o Templo, acreditavam na vinda de um messias libertador, valorizavam as escrituras sagradas e dedicavam-se a estudá-las – sendo estas também as principais características de Jesus e seus discípulos, conforme narrativa dos Evangelhos.  Assim, possivelmente, os essênios teriam lançado as principais bases teológicas do cristianismo primitivo – e ainda judaico. E mais que isto, pois, talvez, tendo sido o Mestre da Justiça um tipo de messias judeu - dentre tantos outros que já existiram - fora progressivamente mitificado pelos primeiros gnósticos-cristãos ao ponto de, séculos mais tarde, também ser usurpado e deificado pelo Império Romano. 
Independente de quem, exatamente, tenha sido o Jesus histórico, é notório que ele foi filho do judaísmo e representava exclusivamente as expectativas sociais, políticas, religiosas e messiânicas de determinados segmentos israelitas. Inclusive os Evangelhos (escritos entre 70 e 90 da e.c) testemunham que os pais de Jesus e seus discípulos eram judeus, da linhagem de David; ele freqüentava as sinagogas, o Templo, e colocava-se a reinterpretar livremente a Torá e as Escrituras, tal como um rabino fariseu; seus ouvintes eram basicamente israelitas; e mesmo Paulo, que foi o maior propagador de Jesus, era fariseu convicto, criado aos pés de Gamaliel, detendo profundo conhecimento da Lei judaica; e, segundo os Atos dos Apóstolos - apesar do proselitismo e da contínua conversão de gentios ao judaísmo - o tema do possível messianismo de Jesus era sempre discutido entre judeus e dentro das sinagogas. Mas o conceito judeu de messias era simplesmente o de "libertador e restaurador político”. Jesus nunca foi considerado "deus-encarnado" na religião judaica, nem parte de uma trindade divina – isto era considerado blasfêmia, heresia, profanação e idolatria, sendo absurdamente incompatível com a cultura deles. Consequentemente, a grande maioria de judeus repudiou completamente a Teologia Paulina, causando uma cisão definitiva entre judeus e cristãos. E o Império Romano perseguia tanto a um quanto ao outro, torturando-os, queimando-os, e matando-os durante os quatro primeiros séculos. Somente em 313 da e.c. que Constantino se converteu ao cristianismo primitivo e concedeu liberdade de culto a Roma, mandando construir a primeira igreja com seu próprio dinheiro. Em 325 e.c., no Concílio de Nicéia, Constantino tentou unificar o pensamento cristão e eleger alguns dogmas - tal como a doutrina ariana, que defendia a divinização de Jesus.  Em 330 e.c. a capital do império foi transferida para Constantinopla; e apenas em 380 da e.c.,Teodósio tornou o cristianismo uma religião estatal. A partir deste momento concretiza-se a maior usurpação religiosa da história: o carpinteiro judeu é transformado num deus romano, a Tanach é substituída pelo Novo Testamento, as sinagogas cedem lugar às igrejas, as raízes judaicas são extirpadas e recebem uma maquiagem helenizada, o povo judeu é desapropriado de suas riquezas e amplamente exterminado sob o trágico argumento de terem “assassinado o Filho de Deus” - e o judaísmo é transformado em cristianismo, dando início à tenebrosa Idade das Trevas.
Sob esta brevíssima e superficial perspectiva, já é possível perceber que o Jesus pregado pela igreja – seja ela Ortodoxa, Católica, Protestante ou Neoprotestante - tornou-se mais que uma mitificação progressiva e naturalmente mutante, mas uma fraude histórica a serviço do poder. Trata-se de um Jesus roubado, deturpado, forjado, recriado, folheado a ouro – desde a Patrística, Escolástica, Reforma – para ser forçosamente comprado por parcelas incultas da população. Todavia, esta conclusão não encerra a discussão sobre Jesus e aponta para infinitas outras problematizações históricas, culturais, religiosas, sociais, políticas, psicológicas e ontológicas - algumas das quais sugeridas no segundo parágrafo deste artigo - que necessitam de maior atenção, pesquisa e aprofundamento filosófico. 

71 comentários:

  1. Excelente trabalho caro chaver, gostaria de publicar em meu blog, enviar aos meus amigo e orkut esse seu trabalho maravilhoso.

    Atenciosamente,



    Albuquerque

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MANDE O SEU IMAIL PARA O MEU IMAIL KETIMA_AMORIM@HOTMAIL.COM -QUE MANDAREI UM MATERIAL INCRIVEL FALANDO DISSO. É UM LIVRO DA JUSTIÇA DE DEUS E A SUA RESPOSTA- 85% VERSICULOS E É DEUS FALANDO COM O HOMEM. QUER SABER TODA A VERDADE- TE AGUARDAREI
      QUE DEUS O ABENÇOE IRMÃO!
      Responder

      Excluir
  2. aff devemos sempre respeitar as opnioes e as crenças das pessoas assim de tudo as pessoas são diferente e agem diferente, eu sou bruxo e acredito em jesuz e muito assim como acredito nos Deuses, parece que este blog foi criado pra criticar e vc deve estar adorando né, e nao acredito em nada doque esta falando ai aff, se ele é uma farsa porque tem tantas pessoas sendo curadas eu vi e sei adimitir vil , sou bruxo só que se sempre respeitar as religios das outras pessoas acima de tudo e nao perderia tempo fazendo as pessoas desacreditarem nos deuse delas affffffff odiei este blog

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkkkkk ilario gente deste tipo vil

    ResponderExcluir
  4. Caro amigo, anônimo, não se trata de acreditar no que eu escrevi... rs! É uma questão de estudar e pesquisar sobre o assunto... Pois não sou eu quem digo, mas a história é quem conta este testemunho! Só lamento q a Igreja sempre tenha escondido os fatos... Mas, com a socialização do conhecimento, com a net, vc mesmo pode pesquisar sobre: O Império Bizantino, História do Judaísmo e Cristianismo, Os Manuscritos de Qunrã e a Comunidade do Mar Morto... Psicologia da Religião, Ciência da Religião... e por aí em diante! Depois de ler bastante, volte e comente mais um pouco! rs! Grande abraço, querido bruxo! Mas imagino mesmo que seja um cristão disfarçado! haahah!

    ResponderExcluir
  5. Teu texto estava como "spam" no meu orkut. Mas achei interessante ver do que se tratava, e deparei-me com um interessante texto semelhante a um que escrevi, e que está no meu blog, cujo link segue abaixo:

    http://benkanaan.blogspot.com/2010/09/o-poder-da-ideologia-um-decreto.html

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Oi prof. Hermes! Ainda bem que eu escrevi e postei o meu texto antes do seu! hahaha! Mas é bom saber que estamos em sintonia! E que pesquisamos os mesmos assuntos... Isto torna claro que o texto não reflete uma tendência individual, mas o óbvio resultado de pesquisas modernas e relevantes feitas mundo a fora! Seja bem-vindo em meu blog!

    ResponderExcluir
  7. muito bom o teu texto,só achei uma tanto confuso quando é dada as características dos essênios pelas descrições eu diria que seria cristão primitivos e não um grupo de israelitas que descumpria a tora.

    ResponderExcluir
  8. Prezado "anônimo", eu não sei o que vc entende por "cristão". Mas perceba que os "essênios, ou integrantes da "comunidade do Mar Morto", surgem 150 anos antes de Jesus e João Batista. Os Manuscritos de Qunrã provam q eram israelitas, assim como seus escritos eram em hebraico. E o meu texto diz que eles "valorizavam as Escrituras sagradas e dedicavam-se a estudá-las" - em nenhum momento disse q descumpriam a Torá. "E se vc chama de "cristão" o movimento "religioso" iniciado por Paulo, é aceitável. O q eu deixo bem claro no texto é que eles eram judeus q espervam um messias judeu, e não gentios iniciando uma nova religião. Como os judeus começaram a repudiar a conversão dos gentios ao judaísmo mediante a crença no messias, então os gentios se emanciparam. Inclusive os gnósticos cristãos e muitos outros grupos de cristãos primitivos surgiram séculos antes da Igreja Romana. Só depois dela os "cristãos" tornam-se filhos do Cristianismo. Acho q o texto não está confuso, mas requer conhecimento prévio para compreendê-lo corretamente. Não quis me alongar no assunto... pois o objetivo é provocar discussões e pesquisas por parte dos interessados... Há muito material disponível na net... É preciso se dspojar dos condicionamentos antigos e fazer uma pesquisa livre... Boa sorte!

    ResponderExcluir
  9. Alef CHAVER, SHALOM ATHAR ADONAI (A Paz do Senhor seja contigo!

    Sugiro que tu leias o livro de HEBREUS no Novo Testamento.
    Ali existem explicações que vão além da compreensão dos olhos e ouvidos carnais, da mente carnal.
    Ali está a explicação do Cristo na pessoa de Jesus.
    Ali o autor preocupa-se em revelar o Ieshua ha Mashia (O Messias salvador ou se preferir Salvação O Messias, ou ainda A Salvação por intermédio do Messias)

    FAÇA UM FAVOR À SUA ALMA, LEIA COM ATENÇÃO, HEBREUS, BUSCANDO ENTENDER ESPIRITUALMENTE, POIS AS COISAS DO ESPÍRITO SE DISCERNEM PELO ESPÍRITO E AS DA CARNE PELA CARNE.
    LEIA O LIVRO AOS HEBREUS, ENCONTRA-SE NO NOVO TESTAMENTO.

    QUE A PAZ DO SENHOR, A COMUNHÃO DOS SANTOS, A MISERICÓRDIA DO ALTÍSSIMO, SEJAM CONTIGO.
    QUE A PAZ DO SENHOR SEJA CONTIGO DESDE AGORA PARA TODO O SEMPRE AMÉM.

    GLÓRIA, HONRA E IMPÉRIO AO REI: IESHUA HAMASHIA (JESUS CRISTO)

    CHAVERÁ, IESHIMECHA!

    ResponderExcluir
  10. Prezado anônimo,
    Já li toda a Tanach... Já li todo o N.T várias vezes... Conheço bem a teologia de Hebreus, Romanos, Gálatas... Atos. Quanto mais os estudo, mais percebo q a Igreja é uma fraude do princípio ao fim: na história, no conteúdo, na vivência! E se Jesus estivesse vivo e fosse o Cabeça da igreja, então, tal como dizem, ele seria o verdadeiro responsável por toda a tragédia e hipocrisia q ela tem cometido nestes 2 mil anos ... e ele precisaria ser cruxificado novamente, por justiça! Algo como punir o chefão da máfia! entende?! Bom, se quiser discutir mais a questão, envie-me um e-mail... Que D'us o abençoe! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  11. Oi Amigo o seu testo foi tirado de um monte de livros.....historicos....A igreja catolica nao e perfeita. ela creseu e a fe levou Roma e outros aproveitadores da Fe... para se enriquecer......
    Mas mesmo assim A nossa Fe em Jesus Cristo...E maior do que este monte de palavras bonitas tiradas de livros....
    Eu acredito em Yaweh..seu filho Yoshua o Cristo.. no espirito santo Shekaina e acredito na Arvore da vida A KAballa Hebraica...e Meu Jesus esta nesta kaballa...

    JESUS CRISTO ESTA VIVO...ELE NAO ESTA EM NENHUMA IGREJA...O ENORME PODER DELE LUZ NAO CABE EM NENHUMA IGREJA .....ELE SO ESTA ESPERANDO O MOMENTO...
    Por isso vomos fazer Nosso trabalho Aumentar nossa FE independemente de religiao....

    TD DE BOM Que IHVH- HHIV -IVHH Ilumine.....Amem. Amem, Amem..

    ResponderExcluir
  12. Caro anônimo, vc está certo: meu texto é resultado de muitas pesquisas bibliográficas, de muita reflexão... E, para mim, a discussão limita-se ao personagem Jesus e sua mitificação no decorrer da história. Agora, quanto a vc acreditar q o Jesus construído e forjado pela Igreja seja mesmo independente dela, é um direito seu! Isto eu não discuto! Não discuto a crença pessoal de ninguém! Não vejo diferença se vc crê em Jesus, Buda, Maomé, Diabo, Gnomo, Duende, Papai Noel... Isto é uma escolha pessoal! Nesto ponto, apenas respeito, pois cada um crê no q quer! A minha preocupação é com o esclarecimento do processo histórico e com a verdade acessível. Boa sorte! Abração!

    ResponderExcluir
  13. poético! retumbante! já estou na expectativa de mais post's
    abraço, Tav!

    ResponderExcluir
  14. Grande Índio, meu amigo! Obrigado pelo incentivo, sei o quanto é sincero! Bom, no blog do Álef Benavraham foram postados 3 artigos mais poéticos... com questionamentos existencialistas! Tem estilo, conteúdo e objetivo bem diferentes dos artigos desta página! Espero que goste! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  15. ÓTIMO ARTIGO!

    CHEGARÁ O DIA EM QUE TODA A TERRA PROCLAMARÁ QUE HASHEM É UM, E SEU NOME É UM

    ResponderExcluir
  16. Obrigado Aharon! שמע ישראל יה אלקינו יה אחד
    (Shemá Yisrael Adonai Elokêinu Adonai Echad)
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  17. Ahahaa! Caro Carlos Albert Mazo, quem disse que o artigo continua?! rs! Ele é apenas uma provocação... que visa estimular cada um a fazer suas próprias pesquisas... rs! Há muitos livros que podem ser lidos sobre o assunto! Há muito material na net! Mas se quiser ler algo mais da minha autoria, terá que aguardar o momento em que eu tiver nova inspiração! rs! Enquanto isto, poderá ler os outros artigos que estão sendo postados! E comente sempre q desejar! Será bem-vindo! Abraços!

    ResponderExcluir
  18. O homem ainda chora como um bebê indefeso, ainda olha para o céu à procura de um sinal de conforto. É histérico, mediocre e sua insolência transformou-o em fantoche. É cúmplice de sua própria miséria espiritual. Suas crenças levaram-lhe ao monturo estético, sua moral transcendente o deixou débil, projetou uma natureza articial que beneficia a marginalização sócio-espacial. É a indiferença que parasita o mísero pão alheio, nos tornando assassinos de nós mesmos. Uma mutação genética nos trouxe até a este cenário, e agora só nos resta um plano de imanência que nos faça acordar desse pesadelo.

    Fabio Blanc

    ResponderExcluir
  19. Grande Fabio Blanc! Lindas palavras! Eu não poeria ter feito melhor!!! Só temo que ao "acordar desse pesadelo", a realidade se apresente em total preto-e-branco, sem perfumes, sem adornos, sem motivos, sem sentidos... (pouco pior do que já é? rs!). Sinceramente, executar um "plano de imanência" que extirpe os males do mundo, talvez signifique exterminar a própria raça... rs! Ou, então, que "milagre social" tornaria possível tal fenômeno?! Sugiro que escreva um artigo sobre isto... É um tema muito relevante!!! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  20. Olá, me tornei uma pessoa bastante crítica após estudar teologia...mas aprendi que em tudo deve haver moderação... sinto em você um espírito crítico...muito crítico...não sei onde vc vai...mas você me dá medo...pq não sei a diferença entre o espírito de um muçulmano e o seu. Sinto que a sua crítica pode fazer nascer o ódio...e foi nesse sentimento que já ouvi muito terror. O sentido...não acho o sentido na religiosidade...mas não é prudente cuspir em tudo o que torna uma pessoa o que ela é...mesmo o fato de ter o espírito crítico. Sou uma cristã de espírito crítico e peço que tenha respeito ao Deus e ao Jesus a quem sigo. Não fale mal do meu Jesus...mesmo que as suas fontes da internet levantem suspeitas indubitáveis. Nós estamos no mar...o barco do cristianismo tem muitos furos, pode ser...mas ele flutua, algo o faz flutuar. Querido rapaz...critique mas seja ponderável, não por vc, mas pelo que vc pode suscitar.

    ResponderExcluir
  21. Você deveria ganhar o prêmio nobel se houvesse um para capacidade de sintese e abstração. Você é realmente muito bom. Melhor que Nietzsche eu diria, relacionando a crítica do cristianismo. Conseguiu desmascara uma era de farsa em um texto tão pequeno, nem um capítulo de um livro. Você deve ter uma capacidade intelectual elevada para chegar a conclusões de eventos históricos tão precisas. Eureka! Ninguém pensou nisso antes? Ah...essa internet é uma beleza, com alguns clicks já é possível desmascarar toda um religião e fazer milhões de pessoas se sentirem plenos palhaços. obrigada, vc me libertou. Que texto original. Quais são os sites mesmo?

    ResponderExcluir
  22. Prezado anônimo, eu adoro ironias!! Acho q as amo mais do q ninguém! rs! Me divirto muito! rs! Afinal, é preciso inteligência um pouquinho acima da média para tentar fazer uma com êxito! rs! Mas penso q vc deve ir treinando, pois leva mesmo jeito pra coisa! Só precisa de um pouco mais de conhecimento e habilidade para conseguir resultado! rs! Caso não tenha percebido, este texto não é para leigos! Do contrário, talvez fosse mesmo necessário um livro, ou enciclopédia, para esclarecer cada ponto citado... Talvez seja o seu caso! Tampouco o artigo pretende ser uma novidade! rs! Acho q ao vc afirmar q "ninguém nunca pensou nisto antes" só evidencia a sua ignorância sobre o tema e não a minha! Há centenas de livros e historiadores que falam sobre isto... rss!!! Mas serei generoso e facilitarei o seu raciocínio: Somente entre 1947 e 1956 é que foram encontrados os Manuscritos do Mar Morto, que fizeram emergir novos fatos históricos e lançaram nova compreensão sobre o tema, causando polêmica em todo o mundo! Então, isto explica o porquê de 2000 anos de ignorância! Além disso, é claro q "talvez" vc saiba, que iria para fogueira quem se atrevesse a discordar das fraudes cristãs... rss! E ainda hoje não é fácil lutar contra a máfia religiosa! Mas, como vc disse: "um clik aqui, outro ali..." e já é possível ter acesso a descobertas e pesquisas do mundo inteiro!!! Viva a internet! Só lamento por aqueles que, mesmo tendo uma ferramneta tão poderosa à disposição, tenha preguiça de usá-la... e fique perguntando: "quis são os sites mesmo?"! rs! Então, este texto tem mesmo poder de síntese... e, como toda síntese, não pode ser demasiada explicativa! Então, vou facilitar de novo: é um erro de amador esperar algo de um estilo literário q não esteja de acordo com a proposta dele! Observe o final, q cita, humildemente, a superficialidade do artigo... porém, ainda assim, suficiente para iniciar um processo de "desromantização" para aqueles que querem estudar... Há um mundo de informação diante de vc! Mergulhe nele, sem medo! E volte sempre... Pois foi muito divertido ler seu comentário, pois além de quase engraçado, e quase coerente, ainda assim vc escreve bem! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  23. Prezada teóloga (do penúltimo comentário anônimo), desculpe-me por pular sua vez! Mas não havia visto seu comentário! Vamos por parte: Não precisa ter medo de mim! Não sou um terrorista, nem um fundamentalista radical. rs! Mas, confesso, que a Igreja, esta sim, arrepia-me de medo com seus joguetes políticos... Mas, como teóloga, vc conhece tudo melhor do q eu! Então vamos ao q interessa: "sua crítica pode fazer nascer o ódio" - posso até concordar com isto! Assim como Jesus fez nascer o ódio dos fariseus! Assimm como Saulo fez nascer o medo nos cristãos!Assim como os judeus fizeram nascer o ódio nos romanos... Assim como o Católico fez nascer o ódio nos Protestantes e vice-versa... Assim como a Bíblia, e tudo o mais, faz nascer o ódio em uns e o amor em outros! Viver, pensar, escrever... é sempre um risco, tal como dirigir! Qualquer palavra ao vento pode legitimar a paz ou guerra! As minhas não seriam as primeiras ou as últimas! Mas não depende de quem diz, mas de quem ouve... Porém, penso q mais perigoso do q a "crítica" é o silêncio, a conivência, a cumplicidade, a indiferença, o descaso... Estas posturas podem ser mais maléficas do q a proclamação intrépida da "verdade"! Ou seja: Não posso simplesmente me calar diante de um erro q continua arrastando multidões e apregoando a discriminação e o preconceito, violando as novas tendências humanistas e legislativas do país... Preciso exercer o meu direito de falar enquanto posso, antes que nossa democracia seja sequestrada por uma nova teocracia cristã - pois isto sim me traz não somente medo, mas pânico! Temo, verdadeiramente, o crescimento do cristianismo no Brasil, frente aos tipos de líderes asquerosos q tem se levantado na mídia e frente as grandes extorções e manipulções de massa q se vê a cada esquina... Então, só me resta escrever aqui, neste micro espaço... Aliás, julgo muito mais saudável escrever um crítica ferrenha do q mandar o criticado para a fogueira ou para as torturas da santa inquisição! Afinal, só vem aqui quem quer! Não obrigo ninguém a ler! ...Vc tb pede q eu não fale mal do seu Jesus! rs! Nem do seu Deus! rs! Acho q passei tanto tempo ouvindo a igreja falar mal dos macumbeiros, espíritas, magistas, muçulmanos, judeus... homossexuais, dependentes químicos, garotas de programa... e etc e tal, q pensei q isto fosse uma coisa comum para vcs e q, naturalmente, seriam os primeiros a receberem bem as críticas! Mas uma vez me enganei! rs! Que decepção! rs! Mas relaxe, não falo mal, não profano, não calunio, não difamo... rs! Apenas limito-me a radiografar a Igreja e sua história! Como disse seu próprio Jesus: "Não há nada oculto q não venha à-tona". rs! Ou seja: Sou mero narrador do jogo! Vcs são quem fazem gol contra! rs! Aprendam a jogar com elegância e dignidade, q narrarei os gritos da torcida ao invés de reproduzir as vaias! rs! De qualquer forma, fico muito grato por vc manifestar seus pensamentos aqui... Sempre poderá fazê-lo, sem nenhuma reserva ou censura! Aqui há liberdade de pensamento e expressão! Sinta-se à vontade para manter este diálogo, q considero muito saudável. Volte sempre e q Deus a ilumine e a abençoe, ajudando-a a se decidir d q fonte quer beber... Grande abraço!

    ResponderExcluir
  24. Excelente tralho:
    VEJAM QUE TODOS ESTES VIVERAM MUITO ANTES DE JESUS,Y'S, E SUAS HISTÓRIAS JÁ ESTAVAM ESCRITAS E CONTADAS MUITOS ANOS ANTES E OS POVOS ACEITAVAM ESTAS VERDADES E ACEITAM ATÉ HOJE.

    Horus (egípcio) 3000 a.C.
    Nasceu dia 25 de dezembro;
    Nasceu de uma “virgem”, a deusa Ísis-Meri com Osíris;
    Nascimento acompanhado por uma estrela a Leste;
    Estrela seguida por 3 reis;
    Aos 12 anos, era uma criança prodígio;
    Batizado aos 30 anos;
    Começou seu ministério aos 30;
    Tinha 12 discípulos e viajou com eles;
    Operou milagres e andou sobre as águas;
    Era “chamado” de Filho de Deus, Luz do Mundo, A Verdade, Filho adorado de Deus, Bom Pastor, Cordeiro de Deus, etc;
    Foi traído, crucificado, enterrado e ressuscitou 3 dias depois.

    Nos outros deuses, encontramos a mesma estrutura “mitológica”. Vejamos:

    Mitra (persa – romano) 1200 a.C
    Nasceu dia 25 de dezembro;
    nasceu de uma virgem;
    teve 12 discípulos;
    praticou milagres;
    morreu crucificado;
    ressuscitou no 3º dia;
    era chamado de “A Verdade”, “A Luz”
    veio para lavar os pecados da humanidade;
    foi batizado;
    como deus, tinha um “filho”, chamado Zoroastro.

    Attis (Frígia – Roma) 1200 a.C.
    Nasceu dia 25 de dezembro;
    Nasceu de uma virgem;
    Foi crucificado, morreu e foi enterrado;
    Ressuscitou no 3º dia;

    Krishna (hindu – índia) 900 a.C
    Nasceu dia 25 de dezembro;
    Nasceu de uma virgem;
    uma estrela avisou a sua chegada;
    Fez milagres;
    Após morrer, ressuscitou.

    Dionísio (Grego) 500 a.C
    Nasceu de uma virgem;
    Foi peregrino (viajante);
    transformou água em vinho;
    Chamado de Rei dos reis, Alpha e ômega;
    Após a morte, ressuscitou;
    Era chamado de “Filho pródigo [sic] de Deus


    SERÁ QUE QUANDO OS EVANGELISTAS ESCREVERAM OS 4 EVANGELHO (PARTINDO DO SUPOSTO QUE FORAM ELES QUE ESCREVERAM) NÃO SABIAM DESTES deuses?

    ResponderExcluir
  25. O Verdadeiro nome do filho de D'US YHWH é YAHUSHUA . Os judeus ortodoxos assassinaram o Mestre dos Judeus Nazarenos . O Messias era Judeu, Rabino e carismático . O assassinato do Messias ocorreu porque o povo judeu sempre se recusou a ser um povo espiritual e sim um povo materialista, que sempre acredita no que vê e no maldito dinheiro.

    ResponderExcluir
  26. Hahahah! O Jesus/Ieshua em questão, se realmente existiu, era judeu sim! Concordo! Mas só foi considerado hamshiach por um número muito pequeno de judeus. Mesmo assim, o conceito de messias era, simplesmente, o de "libertador". Depois, a maioria quase absoluta de judeus o repudiou! O Judeu nunca aceitou a trindade ou a divinização de Jesus, pois isso era, e é, idolatria. Jesus nunca foi considerado "deus-encarnado" na religião judaica, pois isto é absurdamente incompatível com a cultura deles. Ao contrário do q vc diz, o "dinheiro judeu" sempre foi um sinal da bênção divina sobre o povo, um cumprimento das promessas de prosperidade feita a Abraão e sua descendência! E quanto a dizer q o judeu "nunca foi um povo espiritual" é o mesmo q dizer q ele nunca foi um povo ou uma nação! A identidade judia, a sua etnia e nacionalidade, sempre se deu pelo aspecto da religião e espiritualidade! É o povo autor e guardião do q todos chamam de "Palavra de Deus", ou Tanach. Então, meu amigo, é preciso rever seus valores... Grande abraço!

    ResponderExcluir
  27. para reflexão:
    POR ACASO JESUS É dEUS?????
    DEUS É HOMEM?? RESPOSTA: "DEUS NÃO É HOMEM PARA MENTIR, NEM FILHO DO HOMEM PARA TER LASTIMA!"(NUMEROS 23:19) DEUS É ALTISSIMO ,ELE É UNICO E NÃO HÁ UNICIDADE IGUAL A DELE,ELE É INCORPOREO, CONCEITOS FISICOS NÃO SE APLICAM A ELE, NÃO TEVE PRINCIPIO NEM TERA FIM, NÃO PODE NASCER NEM PODE MORRER,ELE É ETERNO! E PARA AQUELES QUE PENSAM QUE DEUS PODE ALGUM DIA TER SE TORNADO UM HOMEM E VINDO PARA A TERRA E DEPOIS MORRIDO E RESSUCITADO(O QUE É UMA CRENÇA PAGÃ E IDOLATRA COPIADA DOS GREGOS E ROMANOS), AS ESCRITURAS SAGRADAS(QUE VCS CHAMAM ERRONEAMENTE DE "VELHO TESTAMNETO") DÃO A RESPOSTA: "PODERIA, POREM, DEUS MORAR VERDADEIRAMENTE NA TERRA? EIS QUE OS CEUS, SIM, OS CEUS DOS CEUS, NÃO PODEM TE CONTER; QUANTO MENOS ENTÃO ESTA CASA QUE EU TE CONSTRUI!"(1 REIS 8:27)
    ABRAM AS SUAS MENTES ! DEIXEM DE ESCUTAR MENTIRAS DE IGREJAS E VÃO ESTUDAR AS ESCRITURAS SAGRADAS. MAS TODA ELA, COMO REALMENTE É, E NO IDIOMA ORIGINAL, E NÃO APENAS ALGUNS TEXTOS QUE O PASTORES LÊEM PRA VCS NA IGREJA , MAL TRADUZIDO TODO CHEIO DE ERROS E CHEIO DE FALSAS INTERPRETAÇÕES!
    SHALOM!

    ResponderExcluir
  28. Querido Tav Benyakóv ...O que consome a sua alma amigo? Que presunçoso...espero que vc seja uma pessoa bem velhinha...pra que valha a pena tamanha presunção...Mas lhe adianto que conheci um idoso com o mesmo espirito que o seu nas palavras...(...) Acaso sejas jovem...não deve gastar tempo com o amor...ou com as delicias da vida...imagino alguém que vive isolado, aninhado a sua mais nova companhia...a esquizofrenia paranoica, aliada a profundos ressentimentos dessa tal igreja que vc atrozmente condena. Uma entre outras verdades: nao e' sabio cuspir no prato que te serviu!! Ou sera' que ainda serve!!! Se ela te alimenta...covarde! Tenha coragem de comer da tua pro'pria verdade!!
    Penso que vc leu meia dúzias de livros de teologia e já ufana o ego ensoberbecido digno de um mestre das palavras...
    Sabe...admiro a crítica, quando bem feita e bem fundamentada, mas sabes certamente, fundamento científico que se preze...não usa sites como bibliografia!!! Esqueceu as aulas de metodologia!!?? Ou vc quer fazer ciencia de fundo de quintal?? Perdoe-me achei que era coisa séria o seu vendaval...alias presume-se tao elevado!!! Conseguiste alcancar as respostas existencialistas??? Ou segura nas madeiras pra nao afundar??Pobre alma.
    Repito, achei que era coisa se'ria...mas ignorancia minha, se fosse não estaria estampada em um blog, com um titulo sensacionalista pra chamar a atencao (acabou o acento do teclado) de quem procura coisa seria! Ah...nao e' com arrotos de cientificidade que te tornaras um mestre...tens necessidade de chamar a atencao??? Ha' outros meios...estudo menino...estude!

    ResponderExcluir
  29. Caríssimo Anônimo, amei seus comentários! Vc escreve bem! rs! Provocações como a sua são o q trazem sentido ao meu texto e motivam-me a escrever mais! rs! Mas presumo q antes terei q alinhar alguns dos seus pensamentos, q perderam rapidamente o foco! Primeiro, amigo, vc disse bem: "artigo de blog"! Bingo!! Perfeito!! rs! Se olhar com mais atenção, perceberá q se trata de um simples blog de opinião, cujo autor é um personagem literário: "Tav"! rs! Ou seja, não há aqui o menor intuito de se fazer ciência! Ou será q vc ainda não consegue diferenciar estilos literários ou entender os objetivos do autor? rs! - Não precisava ser um gênio pra perceber estas coisas, q são elementares: primeiros passos pra se fazer uma "resenha crítica"!! rs! Entenda, antes de mais nada, q se eu quisesse, teria citado dezenas de bibliografias e autores sérios q fundamentam o meu artigo! Teria publicado 20 ou 30 páginas bem academicistas, explicativas, cheias de notas de rodapé e referências elucidativas... Ou escreveria um livro sobre o assunto, pois não me faltam idéias, conhecimentos, experiências ou fontes renomadas de pesquisas! Mas vc disse bem, amigo: Isto é só um blog opinativo, literário! rs! Contudo, duvido, duvido mesmo, q vc, ou alguém mais gabaritado, ou algum "verdadeiro sábio e mestre das palavras" (rs!), seja capaz de refutar cientificamente os meus argumentos ao invés de fazer meras acusações morais e imaginativas, q apenas me divertem!! rs! Suas falácias, bem como sua falta de argumentos, apenas fortalecem meu artigo! rs! Pq demonstra q, no fundo, no fundo, vc sabe q Jesus é só mais um dogma forjado pela Igreja - e isto não encontra o amparo da ciência ou da história! rs! No entanto, se vc não é capaz de refutar um simplório artigo de opinião, q já "desmascara" sua religião, então o q restará para vc fazer se eu escrever um artigo nos padrões científicos?! hahaha!!! - Chega soar como piada! rs! Estude amigo, estude, pois nem argumentos vc possui! rs! E lembre-se: citei a net como referência apenas para facilitar a vida do leitor, mas há muitos livros sérios publicados sobre o assunto! Pesquise! rs! Pois não vou te dar as fontes assim, de mão-beijada! rs! Depois volte aqui: Desconfio q será um enorme prazer ler seus comentários!

    ResponderExcluir
  30. Obrigado por teres me convidado a vir aqui.
    Nao tive tempo de ler todo os artigos,porem percebe-se que foi feito com seriedade depois de muita pesquisa e nao de forma leviana.
    Voce esta de parabens...
    Yoel

    ResponderExcluir
  31. Ok, obrigado, Yoel!!! Vc está está certo, são frutos de muitas leituras e reflexões sérias... Volte sempre! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  32. Caro Tov, muito bom seu trabalho, sincero e corajoso. Sim, pois há de se ter muita coragem para enfrentar tantos insultos. Tenho 53 anos e desde os 12 anos lembro-me da procissão na chamada sexta-feira da paixão, eu não me conformava e não aceitava que um D'us tão Grandioso, atemporal, ilimitado precisasse encarnar, ser cuspido, traido, chicoteado, não DEFINITAVAMENTE não, Ele era o Grande Criador do Universo, jamais encarnaria e pasme MORRERIA.
    Não, não falávamos do mesmo D'us.
    E muito criança ainda discuti com o padre da igreja que frequentava, quando lhe dizia "D'us é INDIVISÍVEL, e o padre não concordava.

    Sai pela porta dos fundos na época humilhada, mas defendi e defendo o D'us Único que CREIO.

    Muita paz caro amigo


    Regina

    ResponderExcluir
  33. Querida Regina, muito obrigado pela imensa solidariedade!!! Mas fique tranquila: não me incomodo com os insultos deles! Não mesmo! Servem para revelar a hostilidade cristã! rs! São ovelhas até q ponto?! rs! Ou são lobos travestidos de ovelhas?! rs! No fundo, acho muito engraçado, pois parecem estar se debatendo diante da morte! rs! É isto q acontece: percebem q não há verdade no q acreditam, lembram o mal q fizeram em nome de Deus, enxergam a falência argumentativa q impera diante da decepção religiosa... e só lhes restam 2 opções: ser humilde e honesto a ponto de romper com aquele sistema corrupto q tem manchado o nome de Deus na história; ou debater-se com arrogantes afrontas em defesa da mentira q os conforta em seus erros!!! rs! ...Por outro lado, manifestações espontâneas e amigáveis, como a sua, trazem muita paz ao meu coração!!! Me fazem acreditar o quão importante é ter compromisso apenas com a verdade... e o quanto vale a pena servir ao D'us Único, incriado e imorrível - q não é mera forjação de uma elite sacerdotal e gananciosa! Obrigado mesmo e volte sempre!!!

    ResponderExcluir
  34. Amigo Tav nao sou judeu nao sou cristao tenho imenso respeito pela cultura judaica pois meu avo e bissavo eram judeus sei a verdades!! sei o que os catolicos fizeram com o seu povo nao sei se posso chama-lo de meu povo mas acredito na lei do sabado!! sei que e o verdadeiro Dia de guarda sei que na verdade nao foi o povo judeu que o matou e sim os romanos perdoe minha ignorancia em certos pontos mas como disse o importante e o respeito!! amigo como eu te disse nao sou judeu mas quardo os 10 mandamentos e a Tora pois e isso que e certo!! mas caro amigo gostaria de saber da onde voce tirou esse material pois gostaria de entender melhor o que voce escreveu para dai sim poder ter uma opiniao sobre o assunto mas a unica coisa que eu te falo e que voce e eu e o mundo inteiro nao saberemos a real historia o unico que sabe e Ele sei falar hebraico como disse a igreja catolica sempre enganou as pessoas adoro Israel ja estive la varias vezes AMO o povo de Israel, defendo aquele povo com unhas e dentes pois pelas historias que sei da minha familia que era judia
    sei tudo o que seu povo passou e sao coisas muito tristes shalom ou melhor shabat shalom
    de:luiz glock

    ResponderExcluir
  35. Ola Tav se jesus cristo era uma fraldecomo ele acertou que o templo seria destruido e nao ficaria pedra sobre pedra?

    ResponderExcluir
  36. Ótima colocação Táv. Conseguiu sintetizar muito conteúdo em poucas palavras. É admirável este tipo de atitude pois essa questão surge como um eclipse no sol dos cristãos!! Como seria o mundo ao saber que seu messias foi apenas uma construção mítica consolidada pelo antigo império romano e que perdura até os dias de hoje? Confesso que mesmo não sendo cristão essa idéia de súbito me causou um choque. Simplesmente pelo fato de estar condicionado a acreditar na existência de Jesus.
    É engraçado imaginar o pensamento dessas pessoas que a idéia que preenchia o vazio interior espiritual delas na verdade fora construído e trata-se apenas de um preenchimento ilusório.

    ResponderExcluir
  37. Li seu texto, chaver Tav Ben-ya'aqov. Desde muito cedo na minha vida eu estou a perguntar-me se existe um paralelo ou se existe uma convergência/oposto entre esses últimos 2000 anos sem o Beit HaMiqadesh e esses 2400 anos desde o retorno da Galut HaBabvli. Veja, não gostaria de entrar em polêmicas filológicas nem históricas e nem em confrontos de ideologia religiosa, mas em nome do "saber científico', eu vejo uma conexão entre os fatos. Lendo os Escritos de Daniel o prefeta, vejo que após cerca de 400 anos após a reconstrução do Templo Santo, este veio a ser destruido pelos romanos, o quarto reino que Daniel cita em seu sefer, e de lá até os dias de agora, HaShem não falou mais pela boca de nenhum profeta; e, do lado, 2000 anos desde Jesus, histórico ou não, o mesmo que o NT diz ser Mashiach e, portanto, Emanu-El. Interessante que esse mashiach não descumpriu, pelo que leio no NT, nada da Tora, ao contrário, ele não só ensina a observância da Tora como re-enfatiza-a!, e, assim, não poderia ter casado com Miriam nem ter tido relações abomináveis com Iohanan... mas, deixa isso pra la' agora. Eu gostaria, com su permiso, cogitar-lhe algo que, penso, não costuma passar pela cabeça da maioria dos judeus da tradição rabínica: E se de facto foi esse Jesus - o Yeshu' - moshiach ben-David mesmo? Com que cara você o encarará no Olam Haba? Meu questionamento é realizado com respeito, considerado à sua maneira de ver, reflexo de vários correntes de pensamento no Judaismo tradicional rabínico e suas próprias construções de pensamento. Em outras palavras, excluidas as muitas e vastas e várias imperfeições daqueles que se diziam e desses que se dizem ser seguidores dele, incluindo nisso os horrendos anti-sionismo e anti-judaismo, se não há como provar na práctica científica a existência desse Jesus histórico, haveria como provar ser uma fraude histórica a existência de alguém quem mudou o destino do planeta inteiro esses últimos 2000 anos? Quem levou aos confins do mundo a Torah e, mesmo com muitos percalços de percurso, enviou judeus com o conhecimento da tsedaqá e da Torah para dar testemunho de HaShem entre as nações, coisa que nós fomos instruidos para fazer e nunca fizemos, nem mesmo nestes dias de hoje, onde a ciência tem se multiplicado, no dizer de Daniel o profeta? Antes de responder, por favor, - se é que vai se dar ao trabalho de - pense com zelo científico igualmente. Desapaixonadamente. Assinarei como Anônimo, mas sou um outro Anônimo diferente dos que postaram antes. Isso é notável pelo estilo e pelo conteúdo.

    ResponderExcluir
  38. Prezado Mahadevi, este é o choque que eu mesmo senti, e sempre sinto, a cada nova pesquisa séria sobre o cristianismo. É algo que muito decepcionou, magoou, machucou, e faz doer profundamente a minha existência... A cada dia q passa eu me envergonho mais de já ter sido cristão... e peço perdão a Deus e ao mundo por já ter sido co-participante desta fábrica de enganos e correntes... No entanto, julgo q é uma decepção saudável e profundamente necessária, pois liberta-nos da escravidão religiosa! Por isso, sugiro q leiam, questionem por si mesmos - sem serem vítimas da força coercitiva da hermenêutica cristã - e logo será possível constatar q, de fato, a Igreja é a maior farsa q o mundo já conheceu. Nunca ouvi falar em algo tão demasiadamente contraditório, do princípio ao fim! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  39. Prezado Anônimo (do penúltimo comentário), tb é com muito prazer e respeito q dialogarei com vc! Sobre o livro de Daniel, o fim do exílio, a ausência do Templo, o silêncio dos profetas, a recriação do Estado de Israel, há muito o q se considerar... Então irei direto à tradução da sua pergunta principal: “Se de fato Jesus for o messias, filho de Davi, com que cara vc o encontrará no mundo vindouro?”. Em Oséias 4.6 está escrito: “Meu povo perece por falta de conhecimento...”. Então, vejamos: o NT não é a única referência a ser considerada. Existem os apócrifos, bem como os movimentos gnósticos do primeiro século, q apontam para um Jesus bem diferente daquele pintado e helenizado pela Igreja em séculos posteriores... A Tanach (AT) nunca prometeu um messias divino, tampouco q ele fosse a própria encarnação de hashem (D’us)! O máximo q se esperava do messias é q ele fosse um libertador, rei e/ou sacerdote. A divinização de Jesus como terceira pessoa da trindade – doutrina criada pela Igreja, no Concílio de Niceia, no quarto século – até hoje é apenas um dogma que não encontra a menor sustentação nem mesmo nas páginas do NT! Afinal, quem pode explicar e justificar seriamente este tabu?! rs! Inclusive, os maiores teólogos da Reforma Protestante ignoraram o Jesus histórico do NT, considerando apenas o Jesus revelado – fruto da experiência mística do cotidiano - q é algo demasiado subjetivo e imaginário, fácil de persuadir e manipular. Outra questão é q a Igreja é uma organização gentia e na maior parte das vezes ignorou e/ou ignora a Tanach e seus 613 mandamentos. Além disto, toda a Teologia da Igreja, ora produzida pela Patrística, Escolástica, ou Reforma, bem como a maior parte de suas ações políticas e religiosas (sejam elas boas ou ruins) não estão em verdadeira harmonia nem mesmo com os ensinamentos do NT. rs! O cristão, em geral, segue somente as tradições cristãs, as doutrinas de padres e pastores, com uma hermenêutica rasa e deturpada do AT e NT. Logo, não posso dizer q Jesus, ou seu ensinamento, tenha realmente mudado o mundo. Não, isto é um ledo engano! Quem mudou o Ocidente foi a Igreja, por meio de uma teologia forjada para dominar: quem não quisesse ser “mudado” por Jesus, era torturado, queimado e morto. A religião estatal de um grande Império – algo obrigatório – teve realmente a força q Jesus, por si só, nunca teve – tanto q foi rejeitado e crucificado. Ou seja, a Igreja apenas evoca o nome de Jesus e demais Santos para legitimar o poder. Então, percebendo o quanto a Igreja está longe das raízes judaicas e do próprio NT, bem como por estar ciente das tragédias q ela executou em nome de Deus na história (leia meus 2 artigos: “Eles tentaram exterminar os judeus” e “ O lado criminoso da Reforma protestante”), não há a mínima razão para julgar q ela seja detentora da verdade divina ou da salvação humana! Todavia, enquanto religião gentílica e autônoma, tanto quanto qualquer outra religião ou seita, ela é livre para buscar adeptos aos seus deuses... Porém eu replico sua pergunta de forma contrária: Se Jesus existiu - se realmente cumpriu e defendeu a Torá, tal como se apresenta nos Evangelhos - mas se ele não foi nada além de um bom rabino, essênio, ou religioso judeu, como vc justificará sua idolatria e conivência no dia do Julgamento?!

    ResponderExcluir
  40. CONTINUANDO, CARO ANÔNIMO: Além das contradições apresentadas, sejamos um pouco mais realistas e razoáveis: Diga-me qual foi a novidade q Jesus ensinou! rs! Ele não apresentou nenhuma doutrina especial... Amar a Deus e ao próximo já estava nos Dez mandamentos do judaísmo. Sócrates já havia ensinado a amar os inimigos cerca de 600 anos antes... Platão já havia pregado sobre as virtudes muito antes de Paulo... A mulher já era muito valorizada na Grécia... A ressurreição, as boas obras, o curandeirismo, expulsão de demônios, batismos... já eram doutrinas de muitas religiões, inclusive dos essênios-judeus. E, sejamos sinceros, o cristianismo é pura cultura helênica! Deus criou tudo o q existe no universo... e Jesus não acrescentou absolutamente nada ao mundo, exceto a possibilidade de q seu nome causasse tanta tragédia na história, especialmente aos judeus! Além disso, sequer existe “igreja” no NT, pois nem Jesus e nem seus discípulos jamais fundaram ou freqüentaram uma! Segundo Atos, as reuniões eram em sinagogas e nas casas, posteriormente nas catacumbas! rs! Se eu estou equivocado, se durante as dezenas de vezes q li e reli o NT não fui capaz de perceber alguma coisa impressionante e nova, então, por favor, queira me esclarecer! Ficarei muito feliz se vc, ou qualquer outro, conseguir me surpreender com alguma revelação inusitada! E este papo de q a Igreja colocou a palavra de Deus ao alcance do mundo é uma mentira! rs! Os judeus sempre tiveram o hábito de aprender, meditar e memorizar a Lei, discutindo-a nas sinagogas e nas escolas rabínicas. Foi a Igreja Católica q tirou a bíblia da mão do povo e q realizava culto em latim, incompreensível, até pouco tempo atrás! rs! E Lutero, ao resgatar o q já era feito no judaísmo, impôs sua forma de interpretação, perseguindo os q não concordavam com ele e mandando queimar o AT! Além disso, sejamos sinceros: pôr a bíblia na mão das massas é como pôr um livro ensinando a fazer cirurgias: algo inútil ou nocivo! Para compreendê-la e utilizá-la de forma salutar seria preciso estudar a vida inteira, fazendo uso da língua original, das tradições e culturas da época... No fundo, o povo não lê a bíblia, não a estuda e não a compreende, agindo apenas como papagaios de seus líderes. Logo, não há bem nenhum nisto! ...Então, se na verdade Jesus não fez nada de tão surpreendente assim, é claro q com a Igreja tb não seria diferente, razão pela qual ela sempre cometeu tantos sacrilégios! E mesmo q Jesus tenha existido, mesmo q o NT seja fiel em seus relatos (ao invés de ser repleto de mitos e alegorias), ainda assim Jesus sequer teria cumprido o papel principal de um messias judeu - q seria libertar o povo da opressão romana – , tampouco conseguiu ser um profeta ou sacerdote, nem mesmo rei de verdade! E não foi à-toa q o humor judaico o presenteou com uma coroa de espinhos! rs! E se ele não conseguiu nem mesmo realizar o papel de messias, como seria Deus? É um deus-impotente?! Um deus q se deixa crucificar por homens?! Um deus q morre?! Então, no caso de Jesus, Nietzsche realmente estaria certo: “Deus está morto! Nós matamos Deus!”. rs! Porém, amigo, eu creio num Deus incriado e imorrível, num Deus único q criou o homem à sua semelhança! Não num deus q se fez carne, à semelhança do homem – isto é só antropomorfismo e idolatria! rs! Mas não posso falar mal de Jesus... pois se ele existiu, deve ter sido um bom homem, um bom essênio, ou um bom rabino - nada além disto! E se alguém quiser ser como ele foi, deveria se converter ao judaísmo e guardar os mandamentos de Deus q se encontram na Tanach! Grande abraço, amigo!

    ResponderExcluir
  41. Mas não posso falar mal de Jesus... pois se ele existiu, deve ter sido um bom homem, um bom essênio, ou um bom rabino - nada além disto! E se alguém quiser ser como ele foi, deveria se converter ao judaísmo e guardar os mandamentos de Deus q se encontram na Tanach!
    ==
    Eu: Essênio provavelmente não terá sido. Ele citava muito Rav Hillel. Se ele foi Moshia, certamente ele estaria em um degrau mais alto que simples fariseu ou essênio. Quanto a conversão ao Judaismo, seria sim, concordo, mas o Judaimo não acredita em proselitismo. Seria uma coisa difícil de ser feita.O problema agora, caro amigo é o seu "nada além disso". Você está sendo definitivamente categórico, tanto que, ao analisar a negação de uma afirmação você pressupõe uma afirmação sempre a priori, onde a negação é a consequência direta da afirmação, algo tão lógico quanto se uma outra igual afirmação fosse feita em seguida, como em um sistema binário, 1 e 0, verdadeiro e falso. Para existir o falso você precisa de um paradigma. Quando você nega algo é porquê não concordou com algo. Assim, carece de sentido você negar que ele teria sido um mero homem. Não existe uma negação de per si. Isso é uma interessante filosofia metodológica, que mais se aproxima do moto perpétuo aristotélico. Deixemos a helenização no lixo, por tanto.
    =====
    Ben-Ya'aqov, onde está escrito na Tanach que HaShem não havia prometido um Ungido que fosse filho de David mas que fosse de natureza dual, para que o preceito do Go'al pudesse ser cumprido, ié., da necessidade de um Go'el para cumprir a mitsvá da kapará? Um ser humano comum poderia fazer isso?
    ----
    Os apócrifos não serão considerados, pois são exatamente isso: Deuterocanônicos, sem inspiração Divina. Como vc bem citou, Em Oséias 4.6 está escrito: “Meu povo perece por falta de conhecimento..". E a falta de conhecimento continua. Meu povo continua cego, esperando um Messias político e militar, ao passo que o leão já apascenta há muito tempo com o carneiro. E em meu texto havia duas perguntas principais. Uma você procurou responder, mas sem convencer. E a outra? Pois, não está escrito que sem derramamento de sangue não há redenção (remissão das transgressões)? Onde está autorizada na Tanach a substituição das kaparot por simples preces, sem nenhum sangue? De que forma você encará HaShem no Olam Haba sem ter sido aspergido com sangue inocente?

    ResponderExcluir
  42. Caríssimo Anônimo, fico muito feliz q tenha retornado! ...O Mestre da Justiça, líder dos essênios, foi considerado um messias judeu - conforme os relatos dos Manuscritos de Qunrã – e provavelmente ele tenha sido mitificado pelos movimentos gnósticos do primeiro século e pela Igreja, afinal há muitas semelhanças nas crenças, histórias e ritos. Mas nada impede q Jesus (e/ou os evangelistas) também tenham sofrido influência da Casa de Hillel... e dos fariseus, a quem pareciam conhecer tão bem. ...De fato o judaísmo não é proselitista, nem vejo razão real para “um goy/gentio” se converter, pois pode seguir apenas “As Leis de Noach/Noé”. Usei o argumento para demonstrar que quem admira Jesus, deveria ser como ele: judeu, e jamais um cristão! Além disso, converter-se ao judaísmo significa, necessariamente, não reconhecer Jesus como “nada além” de um homem ou mito, visto q ele sequer é aceito como um messias. Então, como pode perceber, o meu argumento não tem nada a ver com a Lógica Aristotélica! E por falar em “lógica”, não há menor prova ou indício científico, ou argumento filosófico plausível, de que Jesus seja divino, então, obviamente, não posso esperar dele “nada além” do q se espera de qualquer outro homem. E vc inverteu as coisas: é como se eu tivesse q provar q o “super-mam” não existe, q é só uma ficção! rs! ...“Ungido” – No Salmo 2.6, por exemplo, diz: “Eu ungi meu rei sobre Sião, meu santo monte”. A palavra no original é “nasachti” (נסכתי), que significa “derramei”; da raiz “nasach” (נסך), q significa “derramar”. As vezes é usada para derramar vinho, óleo, libação, espírito, etc. num ritual de consagração para reis, militares... Mas é a mesma usada, por exemplo, em Is 44.10., ou para questões referentes aos ídolos. Logo, não há nenhum sentido especial nesta palavra. E quando o livro de Isaías fala do “ungido”, refere-se a alguém sobre o qual foi “derramado” o “ruach”/espírito/sopro/vento (רוח) de Deus. Ou seja, a dualidade está em receber a “unção/derramamento” do espírito, não em ser o próprio Deus! Vários personagens bíblicos receberam o “ruach” e nunca foram considerados messias, divinos, ou partes de uma “polindade”. rs! O conceito “especial e singular” de “ungido” é mera mitificação da Igreja! rs! E, mesmo assim, isto não significa q Jesus, ou o Inri Cristo brasileiro, seja aquele “ungido” prometido em Isaías! rs! ...A palavra “goel” (גאל) - as vezes usada como “libertador” - no original é um termo para quem da “família tem a responsabilidade legal de resgatar a propriedade, realizar vingança, exercer o dever do levirato”... e tb não há nada de messiânico nesta expressão à luz do original! ...Mas para cumprir as “Kaparot/expiações” (כפרות), nos ritos judaicos eram usados cabras - razão pela qual surgiu a expressão “bode expiatório”. Mas ainda hoje, especialmente no Iom Kipur (Dia do Perdão), os judeus sacrificam aves brancas, galos ou galinhas, durante seus rituais de expiação... Com o ressurgimento do Estado de Israel, já fala-se na construção do Terceiro Templo, onde serão realizados os cultos, a kapará e a mechilá!!! Ou seja, não há necessidade de um messias para isto, tal como não havia esta necessidade no tempo de Moisés ou dos profetas. E, sinceramente, não conheço nenhuma profecia q diga q um filho de Deus, ou messias, ou ungido, ou um homem qualquer, tenha q ser oferecido como sacrifício de sangue! rs! – vejo isto como um crime e um sacrilégio! Tal rito era oferecido ao deus Moloque, e outros, nos tempos de Avraham... e o judaísmo deixou-nos uma grande lição de amor: Deus impediu q Itzchak fosse sacrificado... e, creio eu, não desejou q ninguém mais o fosse, nem mesmo Jesus! ...Ah, quanto a considerar o cânon do NT como “inspirado”, é uma crença sua q respeito e posso discutir a teologia dele. Mas, sinceramente, ele e os apócrifos são meras fontes “históricas”, com igual valor para mim! ...Bom, penso q até aqui os pontos foram devidamente esclarecidos! Mas, por favor, sinta-se totalmente à vontade para continuar este diálogo tão enriquecedor! Volte sempre! Grande abraço, chaver!

    ResponderExcluir
  43. Chaver, eu admiro Jesus Cristo, quem foi, em meu humilde entendimento, o maior dos filhos de Israel até a data de hoje, seguido de longe por Albert Eisntein. Mas, como judeu que sou, buscador da observância da Torá, não posso deixar de ser tolerante ao pensamento dos goys e alguns judeus ainda hoje que, abraçando os ensinos de um rabino judeu quem ensinava a Tora, ensinava o exercício da misericórdia e foi morto exatamente por isso, levaram até o mundo todo a cultura ao menos parcial, de Ami Israel. Creio que você não saiba, mas até o final do primeiro século dos goys (I, ec) haviam mais de 1,000,000 de judeus crentes em Jesus Cristo, em toda a Diáspora e mesmo em Israel. As vezes tenho a impressão que você é um judeu prosélito, e essa é uma inversão interessante, por falar em inversão. Torquemada era um judeu que havia se convertido ao catolicismo e foi um sequaz notável contra judeus, matando eperseguindo muitos, como Sha'ul MeTarshish fazia antes de converter-se ao Doce Rabino Galileu. Mais tarde volto em seu espaço, com vossa permissão, para continuar tão fascinante assunto, ao mesmo tempo um lindo assunto e um assunto realmente delicado. Imagino que todos os judeus d tradição rabínica fiquem espantados ao depararem com um judeu tolerante às crenças dos goys, mas este é o espírito da Torah: tolerância, pois está escrito que devemos amar nosso próximo igual a nós mesmos. Finalizando no momento, é um ledo engano acreditar que, se Israel pertence ao Adonay, então Adonay pertence a Israel... reflita sobre. Voltarei com mais tempo b'ezrat HaShem.

    ResponderExcluir
  44. Tav,

    Você disse o seguinte:

    E, sinceramente, não conheço nenhuma profecia q diga q um filho de Deus, ou messias, ou ungido, ou um homem qualquer, tenha q ser oferecido como sacrifício de sangue! rs! – vejo isto como um crime e um sacrilégio!

    Diante do que você disse, eu pergunto, e o texto de Isaias 53? Sabemos que dentre os manuscritos do Mar Morto foi encontrado um livro inteiro de Isaias.E o melhor, é o mesmo que temos em mãos hoje.

    Isaias retrata a necessidade do Messias fazer expiação por nossos pecados:

    Is 53:4 Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
    Is 53:5 Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
    Is 53:6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.
    Is 53:7 Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.
    Is 53:8 Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido.
    Is 53:9 E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca.
    Is 53:10 Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do SENHOR prosperará na sua mão.
    Is 53:11 Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniqüidades deles levará sobre si.
    Is 53:12 Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores.

    Tav,consigo compreender que para você Jesus possa não ser o Messias.Agora,é inegavel a profecia de que o Messia faria(na verdade já fez, pois o Messias já veio)expiação por nossos pecados.

    Por fim, pergunto: você não crê nos profetas?

    Até mais!

    ResponderExcluir
  45. Prezado Anônimo (do penúltimo recado), fui cristão por muitos anos e hoje não tenho religião alguma! Logo, não sou proselitista! Mas se Jesus realmente existiu e se os Evangelhos não são repletos de mitificações, lendas e fábulas, então eu também considero q ele tenha sido tão importante para o Ocidente quanto Buda e outros foram para o Oriente! rs! ...E acredito q o nome de Jesus se tornou bem mais importante e poderoso q ele próprio... rs! - Tal como a Coca-Cola, cujos 80% do valor do patrimônio estão concentrados na marca/no nome e não nos demais bens! E, cá pra nós, no mundo todo, a Coca é muito mais conhecida do q Jesus e também não é tão boa assim! rs! Marketing é marketing! rs!...É claro q acredito q no primeiro século muitos judeus foram seguidores de Jesus sim, pois, como eu já disse várias vezes, o cristianismo primitivo era uma seita judaica! Os discursos inflamados de Paulo e Pedro devem ter convencido a muitos de q Jesus era o esperado messias... Usaram a Tanach (AT) para semear profundas esperanças e legitimar o discurso libertador, restaurador e salvívico... Porém, segundo as Escrituras, a vinda do messias (simples servo de Deus) deveria ser seguida da restauração perpétua de Israel – e o q aconteceu foi justamente o contrário: em 70 da e.c. Roma destruiu o Templo de Salomão e Jerusalém, matando milhares de judeus e espalhando o restante pelo mundo afora. Isto foi um golpe teológico demasiado decepcionante, tornando absolutamente evidente q Jesus não era o verdadeiro messias prometido pelos profetas, assim como a teologia paulina era um grande engodo - q logo serviu de base para que os gentios também viessem a cometer o pecado da idolatria: venerando Jesus, Maria e demais santos. Então, o imaginário judeu deve ter considerado a trágica destruição de Israel como um castigo de Deus por terem sido co-responsáveis pela grande apostasia e idolatria resultantes da crença em Jesus. Consequentemente, nos séculos seguintes, os judeus recusaram a conversão, preferindo a tortura e o martírio como formas de expressar total fidelidade a Deus. Ou seja, aprenderam a lição e não quiseram mais cair no mesmo erro do primeiro século! Por isso, nestes 2 mil anos sucessivos, tem sido insignificante o número de conversão deles a Jesus, razão pela qual sempre foram perseguidos pela Igreja Ortodoxa, Católica e Protestante. E basta dizer q atualmente Israel tem mais de 7 milhões de habitantes, com apenas 2.1% de cristãos (destes, 80% de origem árabe)! rs! Como vc pode ver, os fatos precisam ser reinterpretados!!! Chega de reproduzir a hermenêutica cristã, q tanto já nos causou danos! ...Bom, chaver, é claro que jamais imaginei q o judeu, ou algum outro ser, ou religião, pudesse ser dono de Deus! rs! – e isto dispensa maiores comentários! rs! ...Como disse antes, vc sempre será bem-vindo com suas argumentações, sejam elas quais forem! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  46. Querido Marcelo, eu sabia q mais cedo ou mais tarde alguém apareceria citando Isaías 53 - texto clássico para confrontos com judeus! rs! E vou adorar discutir tais profecias com vc, de verdade! Porém temos 2 probleminhas: Precisamos refletir sobre todo o livro... e, infelizmente, até a primeira semana de dezembro será impossível eu assumir este compromisso com vc! Então, deixarei seu comentário ali, a fim de q outras pessoas possam ir lendo, pesquisando e se preparando, caso tb queiram entrar na discussão! Pode ser assim?! Do contrário, a abordagem não poderia ser tratada com a atenção q merece! Obrigado por participar e não desista!!! Grande abraço, amigo!

    ResponderExcluir
  47. Caro Tav, realmente o tempo é curto para uma profunda análise apologética, mas diante do que você diz a respeito de não ter religião alguma, é no mínimo interessante seu interesse por assuntos religiosos. Faz-me lembrar Mark Twain, quando ele escreveu "que coisa difícil para um ateu quando ele se sente agradecido e não tem a Quem agradecer"... O problema de não ter sido reconhecido Mashiach foi justamente a questão já citada por Oséias o profeta: falta de conhecimento. Como Israel estava ocupada por goys, a expectativa messiânica era a da vinda de um Mashiach político e militar, que expulsasse os invasores com poderes messiânicos, o que nos remete à constatação de que nem mesmo os judeus daqueles idos acreditavam que o Mashiach era um mero homem. Hoje em dia acontece a mesma coisa: é eminente a vinda - ou volta, conforme o ponto de vista de quem lê - de Mashiach, e judeus de forma extremamente geral esperam um Político e um Militar excepcional, que resolva os problemas com os árabes e instaure um reino de paz e prosperidade. Novamente, aqui Oséias o profeta também está a falar: "falta de conhecimento". Mashiach é prometido desde nosso mestre Moisés que, tendo sido um mero e simples levita, não era mashiach, mas D'us estava com ele para libertar Israel do jugo egípcio e coordenar a vida israelita, outorgando em suas mãos a Sua Instrução para a Vida Diária - ou Torá, resumindo. Foi prometida uma benção para ISrael se o povo obedecesse e foi prometida uma maldição se Israel não obedecesse. O que aconteceu no decorrer dos séculos? Israel não obedeceu. No entanto, D'us é fiel a Aliança que fez com Seu amigo Avraham, aquele mesmo profeta que, ao ser impedido de sacrificar seu único filho que tivera por promessa divina com sua amada esposa Sará, disse, profeticamente: Adonay Yriê, Adonay verá (providenciará) um cordeiro para Ele Mesmo, e isto no Monte Moriá, onde, séculos depois, seu descendente Salomao construiu o Templo Santo, o qual foi derrubado pelo invasor goy no decorrer dos séculos até a última vez, em 70 ec. E nunca mais pode ser reconstruido até a presente data. Mais ainda, como escrevi na primeira postagem: absoluto silêncio de Adonay Elokim desde os profetas pós-exílio, cerca de 400 anos antes da derrubada lamentável do Beit HaMiqadesh. Por quê? Esqueceu-se Adonay de Seu povo? Caducou a Sua promessa? Não, claro que não. A Aliança é perpétua e Adonay não é homem, para mentir. Nosso sábio Maimônides resumiu toda a esperança judaica em seus 13 Artigos de Fé, onde afirma categoricamente: Eu creio com perfeita fé que... Não, Adonay não nos esqueceu. Nós, sim, esquecemos dEle e não buscamos o COnhecimento que Ele colocou diante de nós. Vou deixar o assunto no ar, e transcrevo, para suas considerações, o que está escrito em Mishlei/Provérbios 30.4: "Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Mas amarrou as águas no seu manto? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome, e qual é o nome de seu FILHO? Certamente o sabes!
    Muito obrigado por sua paciência e por sua hospitalidade, chaver Tav Rosh Ben-Ya'aqov.

    ResponderExcluir
  48. Ah, sim. Eu ainda tenho algo para considerar: Quando Abraão fez uma aliança ( Brit ) com Ha Shem - ele assumiu também uma parte do contrato, em nome dele e dos herdeiros dele.

    "Eles serão meu povo e eu serei o seu D...s"

    Um contrato tem duas partes - e isto nos leva à definição de "povo eleito" ou "povo escolhido".... Muitos ( muitissimos ) judeus e gentios acham que isso significa uma serie de privilegios especiais para o povo judeu. Faz umas duas semanas uns dos rabinos mais importantes de Israel disse que "os gentios foram feitos para servir ao povo judeu" - e ninguém teve coragem de disser que isso era uma magnifica bobagem... O povo judeu foi escolhido para levar a Palavra ( Os Dez Mandamentos e a Torah na sua integridade "a todas as nações da terra" - os privilegios e as bençãos não estão asegurados am absoluto, se nos não cumprirmos essa função, de ser luz para as nações.
    A grande pergunta é se os herdeiros de Abraão estão realizando a parte deles nesse contrato. Como não é esse o caso, não podemos exigir da outra parte do acordo ( Ha Shem....) nenhum tipo de exigencias, já sejam materiais ( territorios ou riquezas ) já sejam espirituais ( bençãos).
    É exatamente assim que as coisas estão acontecendo... o silêncio profético de Adonay, nenhum Templo onde sacrificar... e sem sangue não há remissão de pecados. Triste, não?
    Essa não é a confissão de um povo, mas de alguém do povo.

    בילוי נאים

    ResponderExcluir
  49. Ok Marcelo! Se vc concorda q podemos discutir o asssunto em dezembro, seriamente, então irei excluir este seu último comentário com fins meramente evangelísticos... Afinal, eu mesmo não me pronunciei precipitadamente sobre o tema! E lembre-se: aceito qualquer discussão, qualquer argumento sério, bem fundamentado e inteligente... Mas não estou aqui para ser "evangelizado" - burlado em minha escolha - ou para fazer disto um trapézio da Igreja! Espero q compreenda! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  50. Ok,Tav!

    Então, até dezembro. Caso eu esqueça de entrar em seu blog em dezembro, mande um email para: marcelopimenta78@gmail.com

    Quero muito ler sua explicação!:-)

    Shalom!

    ResponderExcluir
  51. Caro Anônimo, por favor não confunda o fato de não ter religião com não crer em Deus! Qualquer leitor pouco atento já percebeu q creio muito em Deus e q sou apaixonado pela teologia judaica. Estudo hebraico, mesmo sozinho, apenas para melhor compreender a Tanach e o pensamento judeu. Logo, perdoe-me a mística, mas tenho em Deus uma infinda força motivadora - todavia, a proposta deste blog não é romantizar o assunto! Por falar nisto, quero lembrá-lo q ao me convidar para esta discussão, vc pediu q eu respondesse “desapaixonadamente e com zelo científico”. - E eu aceitei o desafio! Mas acho q vc está começando a se desviar da sua proposta, pois estes seus 2 últimos recados perderam quase totalmente o foco do tema central, defendendo um pensamento muito genérico, divagativo e subjetivo – sem pautá-los numa boa fundamentação! Soou-me, apenas, como uma destas pregações e apelos cristãos q tentam forçar a barra, sem saber como fazê-lo! Desculpe-me a franqueza! Peço q retome suas provocações inteligentes e bem pontuadas, mesmo q tenha q fazê-las aos poucos... e q elas não fujam do tema: “Jesus – Uma Era de Farsa”. Ou anote suas idéias sobre judaísmo para postá-las noutro momento, como discussão de outro tema! Em dezembro, posso pensar em escrever algo q permita estes tipos de construções e debates teológicos mais amplos... O q acha?! Mas não se iniba! Insista! ...E saiba q vc é e sempre será bem-vindo aqui! Grande abraço, chaver!

    ResponderExcluir
  52. CONTINUANDO, MEU PREZADO ANÔNIMO: ...Agora vamos ao q interessa: “O silêncio profético” não tem nenhuma conexão com o “messianismo”, mas sim com a formação do Cânon judeu! Do contrário, mesmo q Jesus tivesse sido o messias, o silêncio permanece até hoje... e pq?! Não houve lógica neste argumento! ...Outra: É “iminente a volta” de Jesus?! rs! Paulo e a Igreja primitiva pensavam como vc! Tanto q chegaram a vender tudo o q tinham e doaram aos pobres, não apenas por amor ou por justiça social, mas pq acreditavam na balela de q Jesus já estava retornando... e q seriam arrebatados à Nova Jerusalém! rs! Caso não tenha se dado conta, este discurso vazio já perdura 2 mil anos! rs! ...Outra coisa: “vinda ou volta” do messias estão longe de serem a mesma coisa, pois uma exclui a outra! Isto não passa de sincretismo, ecumênico e simplista, sem o menor valor para quem estuda o assunto! O messias esperado pelos judeus ainda não veio! O “messias” do cristianismo já veio e ainda não voltou! São interpretações diferentes dos mesmos textos proféticos, mas estão longe de serem o mesmo personagem! O messias judeu ainda tem q nascer, de mulher, e não pode chegar ressurreto nas nuvens! O messias cristão tem q reaparecer em forma adulta, sem poder nascer de novo – os cristãos não crêm em reencarnação! Logo, a “volta” de um messias corresponder à “vinda” do outro é algo impossível teologicamente - não passa de uma equivocada tentativa política de pacificação e fusão! ...A “expectativa messiânica” referente a um “rei” ou “militar” q liberte o povo não é oriunda dos “goys/gentios/não-judeus”, mas das próprias profecias da Tanach – e surge com força desde o cativeiro babilônico! A falsa crença em Jesus no primeiro século foi até um fator justificável e aceitável entre judeus, pq tinha reais expectativas q isto iria libertá-los da opressão romana! No entanto, com o tempo ficou claro q Jesus não fez nada do q o messias judeu deveria fazer... E é por isto q não o reconhecem mais como nada! Apenas o inverso aconteceu: Após a vinda dele quase houve a extinção do povo judeu e não a restauração perpétua de Israel! rs! E o nome de Jesus não livrou o povo “da dor, ou da doença, ou do sofrimento”! O nome de Jesus foi usado pela Igreja para torturar, queimar e matar o povo judeu – consistindo no seu maior inimigo nestes 2 mil anos! Então, chamar Jesus de “libertador”, “messias”, ou “salvador” do povo judeu só pode ser mesmo uma grande piada de mal gosto! rs! – Seria algo como dizer q “no final o Diabo é quem irá salvar a Igreja”! rs! A história já demonstrou com clareza q nenhuma profecia relacionada ao messias se cumpriu até o presente momento! Hoje é possível fazer uma nova exegese bíblica e histórica, capaz de elucidar os fatos e demonstrar q o “messianismo” de Jesus foi mesmo forjado pela hermenêutica cristã, pois ela tinha os seus objetivos políticos de dominação. Em dezembro, ao estudarmos o livro de Isaías, isto tudo ficará mais claro!

    ResponderExcluir
  53. Meu caro Otávio [Ot Tav](como vc sabe judeus gostamm de trocadilhos):, para qualquer judeu, a vinda de Mashiach é eminente, pode ser a qq hora. Não importa aqui se ele é Jesus, ou Yeshu' ou outro. O fato é que para os judeus de modo geral - para os ateus isso não teria nenhuma importância - a vinda ou volta (depende do ponto de vista de quem lê, veja o que escrevi, por favor). Dessa forma, como vc estuda o Judaismo autodidatamente, deveria também estudar o Tanach, pois as evidências proféticas sobre Mashiach são contundemente fortes ali. Não sei se falar ou escrever mal sobre o Jesus dos goys é uma coisa boa. Acho que não, mas o blog é seu e a responsabilidade do que está escrito também é sua. Mas, como provar uma inexistência sem uma causa a priori? Eu acredito que você está interpretando um pouco equivocadamente o que escrevo. Em momento nenhum eu dise que você era ateu, e a minha comparação com o ateísmo de Mark Twain teve apenas uma conotação ilustrativa. Na verdade o que eu quis dizer foi que, para um ex-cristão, você até que ataca muito seu ex-redentor. Entende agora? Lógica talmúdica, do tipo "quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha"? E quando escrevi que eu achava que você fosse um judeu prosélito, pelo modo com que você escreve, eu também não disse que vc fosse proselitista, muito ao contrário. Como você saiu fora do que eu escrevi, fui obrigado a sair também for do escopo afim de que você, tendo observado isso, fosse igualmente convidado ao foco científico da questão proposta: como provar uma farsa que você mesmo viveu durante anos? Você escreveu que é ex-cristão. Mas você defende que foi a Igreja Católica, eu presumo - quem foi aos consfins do planeta levando o conhecimento de D'us e de Jesus. Ocorre que o yehudut meshich, aquela 'seita' judaica dos séculos 1 a III ec, espalhou-se pelo mundo e não foi graças a nenhuma igreja católica, cheia de imperfeições, de intolerância, de fanatismo, de corrupção e de terrorismo, pois nestas bases, nenhum amor nem misericórdia nem bessorá hageulá poderia ser transmitida a todos os povos. Certamente como um ex-cristão, você vai defender sua ex-igreja, mas não poupa ataques ferinos ao seu ex-Salvador, meu caro... tudo bem que você não creia em Jesus, pois você nunca creu nele mesmo - mas por qê essa insistência tamanha em sua desqualificação? Como escrevi na primeira postagem, se não faço engano, a negação da negação é uma afirmação, mas a negação de uma afirmação é o reconhecimento implícito a priori daquela coisa a posteriori. Não se nega o que não existe. Mas, voltando aos escritos de Daniel (depois falaremos de Isaias), como você percebe a experiência do cumprimento do que está escrito em Dn 12.4 hoje, nesses momentos em que vivemos e o silêncio profético de HaShem nesses quase 2,400 anos após os últimos profetas pós-exílio babli? Sabe o que é uma farsa, amigo? Ensinar que dependemos de justiça auto-meritória e de preces no lugar de derramamento de sangue... quando a Torah ensina exatamente o contrário... qual a farsa mais importante para o povo judeu, então? Guias cegos ou um mashiach sobre quem falta conhecimento?
    E falando em conhecimento, a revista Isto É trouxe uma interessante notícia sobre uma caixa mortuária de Ya'aqov ben-yosef ach Yeshu', datada de uns dois mil anos, encontrada em Israel, vc já leu sobre isso? Há uma aura de autenticidade sobre, muito mais fidedigna que aquele 'santo sudário' forjado pela sua ex-igreja, por Roma. Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  54. Caro Anônimo, acho q é vc quem não está lendo o q escrevi... Não confunda “a volta” de Jesus com “a vinda” do messias... Não force a barra! Não é a mesma coisa! E o objetivo do blog é deixar isto bem claro: O cristianismo, com seus deuses triunos, santos, livros sagrados, dogmas, ritos... é uma religião totalmente helênica e autônoma. Numa religião forjada por Roma, Jesus pode ser “filho de deus”, Maria pode ser “mãe de deus”, a Igreja pode ser a “casa de deus”, o papa pode ser “o pontífice mediador” entre os homens, a Terra pode ser o “centro do universo”, o NT pode ser a “palavra de deus”, o Diabo pode ser o “mega-inimigo” do crente, o mundo todo pode ser “condenado ao inferno”... pois este é o construto da mitologia cristã! rs! Para os cristãos, Jesus também pode ser “o messias ioiô” - que “veio” e que “volta” - mas não o é para os judeus, nem para os muçulmanos, nem para os demais credos, nem para os ateus, ou tampouco para mim! Então você não conseguirá legitimá-lo por meio da Tanach – pois o AT é um patrimônio do povo judeu. Não tente impor um “deus cristão” à religião judaica – isto é uma aberração religiosa, política, teológica e intelectual! E não tente confundir uma religião com a outra ou forçar o sincretismo entre elas! São coisas distintas, tal como a água e o óleo, o vinho e o vinagre, o ouro e o dourado. rs! Logo, “Vinda do messias” e “volta de Jesus” são coisas absolutamente diferentes, de personagens e religiões contrárias... E se vc quer brincar de “lógica”, não insista num erro tão primário: quem nunca “veio” não pode “voltar”! rs!

    ResponderExcluir
  55. CONTINUANDO, CHAVER: Agora vou tentar desenhar: Jesus é como um bastardo que foi criado no lugar do filho legítimo, com suas roupas e costumes, forjado apenas para que pudessem usurpar o trono do verdadeiro rei! Mas ele não tinha sangue azul. rs! E quando o verdadeiro messias vier pela primeira vez ao povo judeu para assumir o trono que é seu por direito, isto ficará claro para todos! Se isto pudesse ser julgado, nenhum juiz diria que os dois são a mesma pessoa! Um seria considerado impostor; o outro, filho legítimo! Entenda que não estou fazendo juízo de valor! Se Jesus existiu em conformidade com os Evangelhos, ele era mesmo um bom camarada: tinha cara de messias, jeito de messias, cheiro de messias... mas não era o messias verdadeiro! Ao menos não era o messias prognosticado pela Tanach (AT), simplesmente porque ele não cumpriu nenhuma das profecias que falavam sobre a missão messiânica! São as Escrituras, e não eu, que também definem o perfil social e político do messias, bem como suas necessárias conquistas! E são os judeus, autores e exegetas legítimos da Tanach, que o rejeitam! rs! Afinal, a história do judaísmo é repleta de sujeitos que se diziam messias, ou que eram reconhecidos como tal. rs! Tais como o Mestre da Justiça, o Rebe Menachem Mendel Schneerson, o Rebe de Lubavitch, entre outros tantos. O próprio João Batista foi tido como verdadeiro messias nos primeiros séculos e até hoje é venerado como tal pela seita gnóstica mandeísta, com cerca de 100 mil adeptos remanescentes, especialmente no Irã e Iraque! A questão é que o próprio Jesus nunca ostentou este título para si! rs! Nem mesmo os discípulos dele tinham esta perspectiva! Somente após a morte dele é que iniciou-se a mitificação sobre seu messianismo celeste (justificaram q ele veio pra ser rei no céu, visto que não consegui ser na terra! rs!) – o que é uma absurda contradição à luz da Tanach. Séculos depois, Roma o adotou: E o bastardo passou a ter Pai e Mãe, bem à moda dos gregos! rs! Ele também ganhou religião, templo, povo, livro sagrado – tudo bem novinho, à moda dos judeus! rs! Por fim, para ajustá-lo às profecias, Jesus até ganhou um reinado póstumo aqui na terra (!), cujo Procurador era o papa! rs! Afinal, o Jesus carpinteiro estaria ocupado em ser rei nos céus e alguém precisaria fazer o serviço sujo por aqui! rs! Então, por ironia do destino, a Igreja oficializou e materializou o novo mito, utilizando-o para dominar os povos pagãos e exterminar os judeus! – E eu imagino que Jesus, nesta hora, deve ter tremido na sepultura! rs! Como vc pode perceber, em nenhum momento, desde o primeiro artigo e comentário, jamais ignorei o Jesus histórico... Apenas tenho mostrado a necessidade de reinterpretá-lo à luz da própria história e das Escrituras, colocando-o no seu devido lugar! (Bom, tenho q sair... Amanhã responderei às outras questões, tenha paciência! Grande abraço, chaver!)

    ResponderExcluir
  56. “você vai defender sua ex-igreja” – Parece q vc não leu mesmo os meus artigos e nem meus comentários... Ou não teria afirmado isto e tantas outras coisas insustentáveis! rs! Assim eu começo a perder a vontade de responder! ...Mas, por enquanto, vamos ao q parece relevante: Me converti ao cristianismo aos 17 anos e passei muito tempo dentro da Igreja, pq vivi uma destas experiências místicas q parecem ressignificar a vida... Fui muito sincero em minhas devoções e estudos bíblicos... Preguei em muitos lugares... Mas o que me movia era a mística, não o conhecimento! Com o tempo, somatizando decepções e desilusões, por perceber o quanto o discurso está longe da vivência da maioria dos cristãos, comecei a desenvolver ainda mais as pesquisas e o senso crítico... Então, ainda enquanto cristão, descobri q a teologia produzida pela Patrística, Escolástica e Reforma não tem real conexão com o AT ou NT e poderia ser toda jogada no lixo, sem pena – pois são produções artificiais q buscam reforçar o discurso do sistema já demasiado corrompido desde sua origem. Então, tornei-me um cristão desvinculado das tradições e doutrinas religiosas, apegado apenas às Escrituras e ao mesmo sentimento dos cristãos-judeus do primeiro século: o amor a Deus e ao próximo! Mas continuei pesquisando mais apuradamente as raízes das minhas crenças, as bases teológicas do NT, ansioso por me aproximar mais das verdades primitivas... e vi q não sobrou nada! Nada se sustenta no cristianismo! Absolutamente nada! Até mesmo Jesus (se é q ele realmente existiu tal como reza a lenda) não tinha a pretensão de querer ser divino e nem de criar religião - e isto já é bastante notório nos próprios Evangelhos. Mas o problema maior é q o personagem Jesus não encontra suficiente respaldo histórico e nem mesmo o mínimo de real sustentação da Tanach (AT), reduzindo ao imaginário coletivo! Na verdade, ele não cumpriu nenhuma profecia do AT. A Teologia cristã é uma grande farsa, q acaba sendo reproduzida por pessoas ingênuas e sinceras, ora condicionadas pelas forças coercivas de um milenar discurso imperial! Mas não é fácil enxergar tudo isto, pois trata-se de um processo muito árduo, conflituoso, espinhoso... e requer busca imparcial, coragem, estudos e reflexões progressivas... Geralmente, apenas a mística, a euforia, a crendice cega; a alienação, a lavagem cerebral e cultural; o medo do diabo, da morte e do juízo final; a busca da cura, da bênção e da prosperidade, são as reais forças motrizes q mantém as massas desejosas pela Igreja. Para eles, Deus é só um mantra ou um passaporte ao paraíso! rs! Mas tudo isto perdeu o sentido para mim, já não havia mais razão para continuar a crer nem mesmo em Jesus, ora fortemente mitificado e forjado pela Igreja! E a Igreja é, para mim, apenas mais uma religião, como a dos afro-brasileiros, vudu, alta magia, ou quaisquer outras capazes de produzir “milagres” e “místicas” à população desesperada e desiludida, ávida por um conforto... Experiência por experiência, mística por mística, todas são iguais e produzem as mesmas certezas e convicções sobre a verdade transcendental... Só muda o rótulo e a forma! rs! ...No fundo, sinto mesmo vontade de me converter ao judaísmo, sob a aliança de Avraham... e me aprofundar nos estudos da Tanach, diretamente no original hebraico... Então, entenda q não falo mal de Jesus, ou do Preto Velho, ou da Pomba Gira, ou do Diabo... Nem do Saci, nem do Papai Noel, nem do Coelhinho da Páscoa, nem da Mula-sem-cabeça... Nem de qualquer outra figura mítica! Cada um acredita no q gosta ou no que quer... Cada um sabe o tamanho do conforto ou desconforto q a ignorância, ou a esperança, produz em si próprio! Apenas trago à luz parte da história das religiões judaico-cristãs e coopero com a sua reinterpretação, tendo base minhas pesquisas e experiências... (Chaver, depois, quando eu tiver mais um tempinho sobrando – e será cada vez mais difícil até 10 de dezembro – voltarei para terminar de responder às suas muitas provocações anteriores! Grande abraço, Anônimo, e tudo de bom pra vc!)

    ResponderExcluir
  57. Yo espero que ud tenga alguno tiempo para leer esto abajo, chaver.
    ---
    ¿Qué creen y enseñan los Rabinos en cuanto al Mesías?

    En las escrituras de Zacarías 12:10 El Eterno dice: "Y derramaré sobre la casa de David, y sobre los moradores de Jerusalén, espíritu de gracia y de oración; y mirarán a mi, a quien traspasaron, y llorarán como se llora por hijo unigénito, afligiéndose por él como quien se aflige por el primogénito."

    En las escrituras de Isaías 53:4 - Ciertamente llevó el nuestras enfermedades, y sufrió nuestros dolores; y nosotros le tuvimos por azotado , por herido del Eterno y abatido. Mas él herido fue por nuestras rebeliones, molido por nuestros pecados; el castigo de nuestra paz fue sobre él, y por su llaga fuimos nosotros curados. Todos nosotros nos descarriamos como ovejas, cada cual se apartó por su camino; mas Adonai cargó en él el pecado de todos nosotros.

    Qué dice el Talmud acerca de estos versos? Los rabinos de antaño no solo sabían que el Mesías iba a ser traspasado, pero también sabían que iba a morir! El hecho está registrado en esta discusión por los rabinos en el Talmud Sukkah 52A que dice: "Cuál es la causa de llorar y aflicción (de Zacarías 12:10)? "Y derramaré sobre la casa de David, y sobre los moradores de Jerusalén, espíritu de gracia y de oración; y mirarán a mi, a quien traspasaron, y llorarán como se llora por hijo unigénito, afligiéndose por él como quien se aflige por el primogénito."

    Ve la relación? Ellos, los rabinos, vieron la conexión entre el lloro de Zacarías con el Mesías azotado por nuestros pecados! El Viejo Tárgum Rabínico dice de Isaías 53: " mi sirviente, el Mesías, en el cual yo me complazco"

    Que dicen las escrituras en cuanto a cuando el Mesías iba a venir? Nuestro profeta Daniel profetizo que 483 años luego el Mesías vendría. Lea Daniel 9:25, 26 por ud mismo. Note que cuando lea la palabra ‘sietes’(o semanas) esa palabra es similar a nuestra palabra década pero significa 7 años. Así que cuando lea ‘siete’ sietes eso equivale a 49 años (7 x 7 =49). Cuando se dice sesenta y dos ‘sietes’ (o semanas) esta equivale a 434 años (62 X 7=434). Entonces cuando añade 49 + 434 se obtiene 483 anos. Estos 483 años después del decreto para restaurar y reconstruir Jerusalén (el 14 de Marzo del 445 BC) Yeshua (el Mesías) camino en la tierra. Entonces, como Daniel lo había profetizado, Jerusalén y nuestro Templo seria destruido en el 70 AD.

    Que dice el Talmud acerca de Daniel 9? En el Talmud, en Megillah fol. 3a dice: "a Bath Kol (voz del cielo) exclamo "…Suficiente! Cual es la razón? Porque la fecha del Mesias fue predicha en ese mensaje." Es sorprendente todo lo que nuestros rabinos de antaño habían dicho. Desde que el Templo fue destruido no podemos ofrecer mas sacrificios por nuestros pecados. El Eterno conocía esto de antemano que el Templo seria destruido, así que nos dijo atravez de los profetas y en nuestras escrituras del sistema de sustituto para el sacrificio que El mismo ofrecería. y proveyó su propio cordero, Maran Rabbeinu Yeshua, para ser el perfecto sacrificio de sangre!

    Lo conoses al Mashiaj? Yeshua shemo (Yeshua es su Nombre)
    -
    Con un fuerte Shalom. Esta és mi última message.

    ResponderExcluir
  58. Querido Anônimo, conforme eu já havia dito ao Marcelo, não estou com tempo para análises exegéticas e teológicas... Apenas a partir de 10 de dezembro poderei dar atenção a estes assuntos! ...Saiba que eu creio nas profecias referentes ao messias, porém acredito plenamente que elas ainda não se cumpriram! Não se cumpriram em Jesus ou em algum outro falso messias! Não adianta vc usar um versículo para legitimar que Jesus era o Messias, enquanto nenhum dos outros versículos ao redor se cumpriram na vida de Jesus ou na vida do povo judeu! ...Por isso posso me adiantar q sua interpretação não corresponde à interpretação do Estado de Israel e nem a dos demais judeus e rabinos espalhados pelo mundo! Todos ainda esperam a vinda do messias e a reconstrução do Templo! As profecias ainda são para o futuro... Grande abraço, amigo!

    ResponderExcluir
  59. Sião, ouça me! É verdade o que muito de vocês ja ouviram! os gentios pagãos tem se reunido em um grande exército, e como eu digo, que este exercito esta se aproximando cada vez mais de nossa casa. Acreditem em mim quando eu digo que nós temos um período dificil pela frente. Mas se nós queremos estar preparados para isto, nós temos primeiro que perder o nosso medo disto. Eu estou de pé aqui, diante de vocês agora, verdadeiramente sem medo. Porque? Porque eu acredito em algo, vocês não ?
    - Não, Eu estou de pé aqui sem medo porque eu me lembro! Sim, Eu me lembro que eu estou aqui não por causa do caminho que está diante mim, mas por causa do caminho que está por trás de mim. Eu lembro que há 2.000 anos nós temos resistido à estes gentios pagãos. Eu me lembro que há 2.000 anos eles tem levantado contra nós e tem enviado seus exércitos para nos destruir, e depois de 2.000 anos de guerra(perseguições, Inquisições, Progrons, Holocausto e etc...) eu me lembro do que mais importa . . . NÓS AINDA ESTAMOS AQUI! Hoje, vamos enviar uma mensagem para este exército. Esta noite, vamos estremecer esta caverna na qual nos encontramos escondidos agora! Vamos fazer tremer estes salões da Terra, de aço, e de concreto, vamos nos fazer ser ouvidos desde as profundidades da Terra até as alturas dos céus! Esta noite vamos fazer eles se lembrarem, DE QUE ESTA É SIÃO, E QUE NÓS NÃO TEMOS MEDO!!!!

    "Ouçam o rugido do Leão!" - (Bereshit/Genesis 49:9)

    ResponderExcluir
  60. para reflexão:
    POR ACASO jESUS É dEUS?????
    DEUS É HOMEM?? RESPOSTA: "DEUS NÃO É HOMEM PARA MENTIR, NEM FILHO DO HOMEM PARA TER LASTIMA!"(NUMEROS 23:19) DEUS É ALTISSIMO ,ELE É UNICO E NÃO HÁ UNICIDADE IGUAL A DELE,ELE É INCORPOREO, CONCEITOS FISICOS NÃO SE APLICAM A ELE, NÃO TEVE PRINCIPIO NEM TERA FIM, NÃO PODE NASCER NEM PODE MORRER,ELE É ETERNO! E PARA AQUELES QUE PENSAM QUE DEUS PODE ALGUM DIA TER SE TORNADO UM HOMEM E VINDO PARA A TERRA E DEPOIS MORRIDO E RESSUCITADO(O QUE É UMA CRENÇA PAGÃ E IDOLATRA COPIADA DOS GREGOS E ROMANOS), AS ESCRITURAS SAGRADAS(QUE VCS CHAMAM ERRONEAMENTE DE "VELHO TESTAMNETO") DÃO A RESPOSTA: "PODERIA, POREM, DEUS MORAR VERDADEIRAMENTE NA TERRA? EIS QUE OS CEUS, SIM, OS CEUS DOS CEUS, NÃO PODEM TE CONTER; QUANTO MENOS ENTÃO ESTA CASA QUE EU TE CONSTRUI!"(1 REIS 8:27)
    ABRAM AS SUAS MENTES ! DEIXEM DE ESCUTAR MENTIRAS DE IGREJAS E VÃO ESTUDAR AS ESCRITURAS SAGRADAS. MAS TODA ELA, COMO REALMENTE É, E NO IDIOMA ORIGINAL, E NÃO APENAS ALGUNS TEXTOS QUE O PASTORES LÊEM PRA VCS NA IGREJA , MAL TRADUZIDO TODO CHEIO DE ERROS E CHEIO DE FALSAS INTERPRETAÇÕES!
    SHALOM!

    ResponderExcluir
  61. Não entendi, ou se entendi, não compreendi do porque o bruxo anônimo (postagem: quarta-feira, 20 de outubro de 2010 17h45min00s GMT-07:00) ter achado que o texto fala de Jesus como uma farsa, pois o título do texto é: JESUS - UMA ERA DE FARSA. A palavra ERA, do título, NÂO pertence ao verbo "ser" na sua 3ª pessoa do pretérito perfeito, mas é sinônimo das palavras "época", "período", "tempo". Não nega Jesus, mas o situa num momento histórico.
    Shalom.

    ResponderExcluir
  62. Os arianos (seguidores de Ário) não divinizaram Jesus (a.S.). Pelo contrário, eram unitaristas e criam nele como ele era de fato, absolutamente humano e profeta.
    Cuidado com tuas fontes.

    ResponderExcluir
  63. PARA MAIS INFORMAÇÕES A RESPEITO DE JESUS, VISITE O BLOG:

    JESUSREVELADO.BLOGSPOT.COM
    (COPIE E COLE NO CAMPO "ENDEREÇO" DE SEU NAVEGADOR)

    OBS.: ANTES DE COMENTAR, LEIA TODO O TEXTO DENOMINADO "JESUS REVELADO"; É UM POUCO EXTENSO, MAS MUITO INTERESSANTE....

    ResponderExcluir
  64. Precisamos ter certeza do que escrevemos porque seria como lançar penas ao vento. Depois para recolhê-las seria impossível. Me refiro ao texto sobre Yeshua. Até mesmo os incrédulos historiadores tem que admitir sua passágem por este mundo. Sua história e seus feitos para reconciliação jamais deixarão de ser fatos verídicos até porque verdade é tudo o que resiste a prova!

    ResponderExcluir
  65. Querido anônimo, tenho certeza das palavras que escrevi! Mas não tenho certeza se vc leu atentamente o terceiro e quarto parágrafo do artigo! E não se trata de ser incrédulo, ao contrário: para defender a existência histórica de jesus, tal qual se prega por aí, é preciso de demasiada credulidade... Mas, como ele mesmo disse:"tudo é possível ao que crê"! rs! Entendo que cada um é livre para interpretar e reinterpretar a "história"... Mas quem estuda um pouquinho sobre o tema (e não precisa ser historiador sério!) já sabe que a "história verídica" está há alguns anos-luz desta que é narrada pela igreja... Até os grandes reformadores sabiam disso e abandonaram os argumentos históricos e o trataram como mitos! rs! E o Jesus reformado era aquele "revelado" por meio da mística do culto... rs! Mas, é claro, estes dados não são lançados ao vento! Não podemos temer a verdade! Boa sorte!

    ResponderExcluir
  66. MANDE O SEU IMAIL PARA O MQUE IMAIL KETIMA_AMORIM@HOTMAIL.COM -QUE MANDAREI UM MATERIAL INCRIVEL FALANDO DISSO. É UM LIVRO DA JUSTIÇA DE DEUS E A SUA RESPOSTA- 85% VERSICULOS E É DEUS FALANDO COM O HOMEM. QUER SABER TODA A VERDADE- TE AGUARDAREI
    QUE DEUS O ABENÇOE IRMÃO!

    ResponderExcluir